Ana, a sua assistente virtual no combate ao Coronavírus

Tire dúvidas e avalie os seus sintomas

Uma iniciativa IGESDF

Sobre o Coronavírus

Tudo o que você precisa saber agora

O que é?

Os Coronavírus são uma grande família de vírus que podem causar desde resfriados comuns até doenças respiratórias mais graves, como Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS). 

O que chamamos de “novo Coronavírus” foi descoberto em dezembro de 2019 na China (SARS-CoV-2) e é o agente causador da doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19). 

Como é transmitido?

Através de gotículas expelidas pelo nariz e pela boca quando uma pessoa infectada fala, tosse ou espirra, até mesmo quando ela não apresenta sintomas (assintomática) e quando não se sente doente. Essas gotículas podem ficar depositadas em objetos ou superfícies por horas e isso faz com que outras pessoas que tenham tocado nesses objetos ou superfícies também possam se contaminar ao levar a mão aos olhos, nariz e boca.

Pessoas saudáveis podem se infectar ao respirar diretamente as gotículas respiratórias de uma pessoa infectada quando ela tosse ou espirra ou pelo contato direto como toque, abraço ou aperto de mão. Por isso, é muito importante manter a distância de pelo menos dois metros de outras pessoas e lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel. 

Quais os sintomas?

Geralmente, a doença pelo Coronavírus é similar a uma gripe, com os sintomas de febre, tosse e/ou dificuldade de respirar. Alguns casos da doença podem se agravar e alguns pacientes também apresentam cansaço, dores no corpo, mal estar em geral, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta e até dor no peito

Algumas pessoas infectadas não apresentam sintomas ou apenas sintomas leves, quase imperceptíveis. A maioria das pessoas, cerca de 80% segundo o Ministério da Saúde, se recupera da doença sem precisar de tratamento especial. 

Cerca de 1 a cada 6 pessoas que adoecem pelo COVID-19 podem apresentar a forma grave da doença. Pessoas idosas e portadoras de certas condições crônicas como pressão alta, doenças cardiovasculares e diabetes, têm um maior risco de desenvolver Coronavírus de forma grave. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico imediato.

Qualquer pessoas que tenha apresentado um dos sintomas listados ou que tenha passado por atendimento sendo um caso suspeito ou confirmado de COVID-19, deve seguir as orientações de evitar frequentar ambientes públicos ou mesmo de trabalho, buscando permanecer em casa até o completo desaparecimento dos sintomas. Só assim podemos prevenir a propagação do vírus e a ocorrência de novas infecções.

Como se prevenir?

Devem ser tomadas medidas gerais de prevenção e etiqueta respiratória, como:

  • Lavar regularmente e cuidadosamente as mãos com água e sabão ou higienizar bem as mãos com álcool em gel 70%. Dessa forma você consegue eliminar os vírus que possam estar em sua mão.
  • Manter pelo menos dois metros de distância entre você e qualquer outra pessoa. Assim é possível diminuir o risco de de espirrar gotículas respiratórias que contenham o vírus, caso a pessoa esteja infectada.
  • Evitar tocar o rosto e, principalmente, os olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Assim você evita que as suas mãos transfiram vírus para o seu rosto.
  • Praticar uma boa etiqueta respiratória. Isso significa cobrir a boca e nariz com antebraço ou com um lenço descartável ao tossir ou espirrar. Em seguida, descarte o lenço usado imediatamente. Se todos praticarem a etiqueta respiratória, estarão protegendo as pessoas ao redor contra diferentes vírus, como resfriado, gripe e COVID-19.
  • Manter ambientes bem ventilados e evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. Com isso você contribui para evitar a disseminação de doenças respiratórias como COVID-19.
  • Caso seja necessário sair de casa, utilizar máscara que cubra toda a região do nariz e da boca. A máscara deve ser substituída por uma nova a cada 3 horas de uso. 
Existe vacina, medicamento ou tratamento?

Até o momento, não há vacina disponível contra o COVID-19. 

Existe tratamento disponível, com uso de medicamentos que evitam ou minimizam o desconforto da doença. No entanto, ainda não há um medicamento específico para eliminar ou prevenir o Coronavírus.

Números da COVID-19 no DF

Casos confirmados

Casos curados

Mortes

Atualizado em 05/08/2020 às 18h30

Ocupação de leitos COVID-19

Total de leitos públicos e privados COVID-19 com suporte de ventilação mecânica

Leitos Públicos

Leitos Privados

%

Ocupação de Leitos Públicos

%

Ocupação de Leitos Privados

Atualizado em 05/08/2020 às 12:30

O que o GDF está fazendo?

Últimas medidas do Governo do Distrito Federal para contenção do COVID-19

Taxa de letalidade da Covid-19 no DF é uma das menores do país

A 16ª edição do Boletim Codeplan Covid-19 mostra que o Distrito Federal ocupava a penúltima posição (26ª) na taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil até o dia 02 de agosto, com índice superior apenas ao estado de Santa Catarina (1,34%). Segundo dados do Ministério da Saúde, 1,38% dos casos confirmados de coronavírus na capital federal vieram a óbito. A taxa de letalidade permite observar a noção de gravidade da doença numa determinada região, considerando o número de óbitos por Covid-19 em relação ao total de casos do novo coronavírus.
 

Mané Garrincha: mais de 900 pacientes tiveram alta

 

Já são mais de 900 pessoas que venceram a Covid-19 após passar algum tempo internadas no Hospital de Campanha do Estádio Nacional Mané Garrincha. Na última sexta-feira (31), 13 vitoriosos puderam voltar para seus lares e rever os familiares após um período sem qualquer proximidade física.

Converse agora com uma assistente virtual

Ainda com dúvida sobre Coronavírus ou deseja fazer uma auto-avaliação para
confirmar que é necessário buscar atendimento médico?

A Ana, nossa assistente virtual 24h, está pronta para te ajudar.